Subscribe to newsletter

Subscribe to the newsletter and you will know about latest events and activities. Podpisyvayse and you will not regret.

QUAL A CONTRIBUIÇÃO DA FAMÍLIA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO DE SEUS FILHOS?

Para iniciarmos nossa reflexão não posso deixar de citar as sábias palavras de Vygotsky ao afirmar que … A Alfabetização começa no ventre da mãe, quando os pais nomeiam e conversam com o filho (a) ainda em gestação, colocando palavras e letras nesses diálogos informais e afetivos…

Ou seja, a família tem uma importante contribuição nesse processo, com isso tem como responsabilidade auxiliar e oferecer modelos de leitura e escrita na rotina diária.

Vamos pensar em ações conforme o contexto de realidade de cada família, independente de seu contexto social, cultural e metodológico da escola que o filho (a) vivencia. Segue algumas sugestões que podemos explorar na rotina diária:

  • Permitir que a criança possa elaborar uma lista de compras, mas escrevendo do seu jeitinho, levando – a acreditar que é capaz de escrever e pensar no som de cada letra, sem oferecer respostas como por exemplo ao soletrar a palavra, mesmo que sua escrita seja representada com riscos ou desenho, pois devemos respeitar o seu conhecimento;
  • Além de explorar o momento da ida ao supermercado, ao realizar a leitura dos rótulos ( das imagens ) dos respectivos produtos;
  • Acreditar que toda criança sabe ler e escrever independente da idade, mas cada uma encontra – se em momento deste processo de construção da escrita e leitura, pois o desenvolvimento neurológico é único, com isso cada criança tem seu ritmo de aprendizagem;
  • Criem o hábito de elogiar e demonstrar estarem felizes com as conquistas de cada iniciativa de leitura e escrita da criança;
  • Realizar a leitura para criança de uma receita antes de prepara – lá para que a mesma perceba a importância social da leitura e da escrita, além de convidá – la à fazer parte deste momento de elaboração e organização dos ingredientes;
  • Estar ao lado da criança no momento das lições de casa, permitir que a mesma leia do seu jeitinho e explique o que precisa ser feito para depois realizar a leitura para criança, caso seja necessário. Pois, desta forma estaremos oferecendo autonomia, independência e consequentemente iniciativa;
  • Demonstrar o hábito da leitura na presença da criança ao ler qualquer gêrero textual, como: uma simples bula de remédio, uma receita, jornal, revista, livro, entre outros, assim estará despertando o hábito e o prazer da leitura;
  • Após colocar em prática todas estas sugestões a criança estará fortalecida e preparada para vivenciar a rotina escolar de aprendizagem formal, de maneira mais segura e com pré requisitos que com certeza irão favorecê – la ao qualificar esse processo de alfabetização tão esperado por pais pais e educadores. Vamos formar uma parceria e assim com certeza a criança será benefiada em sua qualidade de vida.

Segue abaixo apenas a nível de conhecimento dos pais, pois os educadores já dominam essa informação referente o processo de construção da escrita que segundo as conceituadas educadoras Emília Ferreiro e Ana Teberosky nos orientam, assim é possível perceber a importância e a justificativa de cada etapa.

Espero ter colaborado com a prática pedagógica e a rotina familiar, caro leitor. Estou à disposição para maiores esclarecimentos. CONSULT – Consultoria Psicopedagógica Daniela Trigo.

RESUMO: HIPÓTESES PSICOGENÉTICAS DA ESCRITA

QUADRO ELABORADO POR DANIELA TRIGO – PSICOPEDAGOGA

PICTÓRICA PRÉ – SILÁBICA SILÁBICA SILÁBICO ALFABÉTICA ALFABÉTICA
Faz uso de imagens ( desenhos – garatujas ) para se comunicar. 1 – Não diferencia números de letras e formas.

 

2 – Utiliza apenas letras e de preferência do seu contexto de realidade ( nome ) e associa a quantidade de letras com o tamanho do objeto.

Sem valor sonoro:

Utiliza letras aleatórias e ao ler realiza pausas, usando um até três registros ( letras ) por pausa.

 

Com valor sonoro: Inicialmente utiliza as vogais para cada pausa ao ler e escrever e gradativamente faz uso das consoantes respeitando apenas o som de cada letra.

É um momento de transição que normalmente é confundido com erros ortográficos, mas na verdade é uma fase para se tornar alfabético, com isso apresenta recaídas principalmente nas construções textuais. Já faz uso da escrita formal.

 CONSULT – CONSULTORIA PSICOPEDAGÓGICA DANIELA TRIGO

Post Author
Daniela Trigo

Comments

2 Comments
  1. posted by
    Moriza
    fev 3, 2016 Reply

    Obrigado Daniela, adorei suas sugestões! Irei utilizar algumas na reunião de pais que realizaremos na próxima semana.

    • posted by
      admin
      fev 6, 2016 Reply

      Obrigada pelo carinho e participação! Fico feliz que tenha gostado! Beijocas.

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *